2006-03-27

Regresso...



Depois de algum tempo regressei a este lugar...
Regressei como quem regressa a casa, desprovida de alguém durante dias e dias. Olho em volta... Observo o pó acumulado nos móveis, as marcas de quem tentou espreitar pela janela na tentativa de ver algo, as cadeiras imóveis, os livros no mesmo lugar...

Tudo parece na mesma, mas uma coisa mudou - O tempo. Não o tempo do sol, da chuva, do frio e do calor mas o tempo do espaço, da vida, do sentir, do amar e do sofrer.
Volto a olhar. Observo o relógio, parado. Por momentos desejo que o tempo tenha ficado preso como um momento numa fotografia mas o manto cinza que cobre toda a casa diz-me o contrário. É algo novo que não estava quando saí... Tão novo, tão velho, eu conheço-o bem... Outros tantos cobriram momentos, partes da minha vida que não deveriam de ter ficado paradas no tempo.

Abro a janela. Uma brisa suave irrompe pela sala a dentro levando o pó consigo. Vejo cor no que outrora era cinzento... Vejo o sol onde antes estavam nuvens...
Não vou deixar que este manto desça outra vez sobre mim.

12 comentários:

Anónimo disse...

Que bom...voltaste.
É um enorme prazer ler-te.

E.

Anónimo disse...

Onde andas misterioso ?

E.

A.N. disse...

Essa foi a segunda pergunta que fiz a mim mesmo... A primeira foi "Quem és tu?"
Mas ainda bem que gostas de ler =)

Prisca disse...

Sempre tanta melancolia no que escreves...nem parece o mesmo andré bem-disposto...é bom as vezes reflectirmos nas coisas, mas ver pela positiva...vá la, animação!afinal tu está sempre bem...e tem que ser por alguma razão!!!beijo

Anónimo disse...

Também sei o que é dizer...estou bem, eu estou sempre bem...e guardar tudo de menos bom, porque não preciso passar aos outros ,o que me desagradou.Um sorriso é oferecido sem custos e, quanto a mim, o melhor meio de aproximação.Gostava de fazer-te sorrir com estas palavritas ...será que consegui?

E.

Anónimo disse...

desapareceste?

vá...volta e fala-nos.
Até Já.


Ah! devo dizer-te que não sei quem és, tropecei no teu blog e goste do que li.É só isso.
Sê Feliz

E.

A.N. disse...

Ainda não desapareci, mas tenho andado um pouco ocupado...
Ao que parece, tropeçaste bem... Só por curiosidade... posso saber como?

Fica bem :)

Anónimo disse...

Podes saber sim.
Estava a dar uma espreitadela aos blogs e reparei num post do teu "estou sempre bem" e resolvi ler os outros.Gostei, embora me pareça que andas em fase ligeiramente negativa.Apeteceu-me meter-me contigo, no bom sentido claro,e aqui continuo à espera das letritas negras no fundo branco.As que te saem ... lá do fundo.
Espero que não te incomodem os meus comentários.

take care...kiss

E.

Grem disse...

Cheer up duuuude!
lol não gosto mt deste tipo de conversa, pareces triste ou assim.. é isso que vai dentro de ti? melancolia? se não é não escrevas apenas por ser bonito, acho mais importante escrever o que realmente sentimos e que nos está na alma..
provavelmente nao disse nada de jeito, só queria dizer que gostava de ver posts mais alegres vindos de ti

;)

A.N. disse...

Incomodar? naaaa, não incomodam nada!
É sempre bom saber que estas letrinhas perdidas algures na web são lidas. Quanto à fase má, passei por uma , não ha muito tempo, mas ando mais alegre ;)

Anónimo disse...

Óptimo!!!
Então...é só seguires o conselho de Grem...ficamos à espera...

Fica bem.

E.

Anónimo disse...

O meu olhar é nitído como um girassol.
Tenho o costume de andar pelas estradas
Olhando para a direita e para a esquerda,
E, de vez em quando olhando para trás...
E o que vejo a cada momento
É aquilo que nunca antes eu tinha visto,
E eu sei dar por isso muito bem...
Sei ter o pasmo essencial
Que tem uma criança se, ao nascer,
Reparasse que nascera deveras...
Sinto-me nascido a cada momento
Para a eterna novidade do Mundo...
Creio no mundo como num malmequerPorque o vejo. Mas não penso nele
Porque pensar é não compreender...
O Mundo não se fez para pensarmos nele
(Pensar é estar doente dos olhos)
Mas para olharmos para ele e estarmos de acordo...
Eu não tenho filosofia: tenho sentidos...
Se falo na Natureza não é porque saiba o que ela é,
Mas porque a amo, e amo-a por isso,
Porque quem ama nunca sabe o que ama
Nem sabe por que ama, nem o que é amar...
Amar é a eterna inocênçia,
E a única inocênçia é não pensar...

Apeteceu-me partilhar contigo este lindo poema de Alberto Caeiro

E.