2006-09-14

Penso demais

Existem inúmeras situações para se começar a pensar: quando não se tem nada que fazer (como é o caso neste momento), quando nos deparamos com um problema, quando lemos, vemos ou ouvimos algo, quando temos alguma ideia, quando simplesmente lembramo-nos de pensar...
Anteontem disseram-me algo em que fiquei a pensar. Não foi filósofo, nem sequer alguma ideia, mas simplesmente uma informação sobre algo que se passava. Até aqui nada de especial, mas o tempo em que aquela frase ficou a entoar-me pelos cantos da mente, demasiado tempo para o que tinha ouvido, levou-me a pensar na razão para tal estar a acontecer.

Coincidência ou não, visitei um cantinho azul, que tal como este, vagueia pelos bits e bytes deste emaranhado digital, cujos últimos “posts” me chamaram a atenção. Claro, que sobre o assunto lá descrito (como diria um amigo meu: lamechices), tive que deixar a “piadinha do costume” ou não fosse eu quem sou, mas deixou-me igualmente a pensar... Não foi a solução, mas talvez a resposta para uma equação da qual só tenho uma variável de outras tanto que desconheço...

Não gosto de ficar assim preso a um pensamento que a meu ver não deveria de estar tão latente como está... talvez o saber porquê e não o querer aceitar, talvez o não saber mesmo...


Sinto-me como se caminha-se para a luz ao fundo do túnel... o problema é que as vezes dou por mim parado a olhar para uma das lâmpadas que estão no tecto. Há que retomar a caminhada...

1 comentário:

Memórias de Um Sorriso Luso disse...

É muito bom pensar.Faz-nos espevitar a nossa mente que por vezes anda molenguita.
Agora, o que nos faz pensar mais ou menos é a importancia que atribuimos ao assunto.Se consegui que escrevesses um post com um tema inspirado num ou mais posts meus...então já valeu a pena escrevê-los.

Um beijinho :)

ah...o que presumi deste teu post...fica comigo